Connect with us

Sem categoria

Cabeleireiro segue tradição de família e aposta no crochê para aumentar a renda em Jacutinga(MG)

Publicado

em

Em Jacutinga (MG), a cidade das malhas, o crochê aparece como alternativa para complementar o orçamento.A cidade de Jacutinga (MG) é um dos polos de malharias do Sul de Minas. Por lá, muitas mãos se encarregam de produzir as mais variadas peças. Longe das máquinas, a arte de tecer à mão prevalece, feita na maioria das vezes por mulheres. É neste meio que o artesanato de um homem ganhou destaque na cidade. A habilidade e rapidez chamam atenção no trabalho de Eliel Luciano Bressan, um cabeleireiro de 40 anos, que encontrou no crochê uma forma de complementar a renda. Na cidade, ele faz parte de uma minoria. Dados da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Jacutinga (Acija) indicam que 95% da produção local de crochê, que é vendida às malharias, é feita por mulheres. A produção do artesanato de Eliel é feita nas horas de descanso. Sempre que tem um tempo vago no salão, coloca as agulhas para trabalhar. Com destreza, o cabeleireiro dá lugar ao artesão que faz tapetes, roupas e acessórios. Ele conta que muitas pessoas não sabem sobre seu trabalho com o crochê e se surpreendem. Por isso, surgem as encomendas. “Eu fico no salão fazendo crochê nas horas vagas, daí a cliente vê e pergunta se eu estou vendendo e logo comenta com a colega, com a vizinha, ou pela internet… é assim que eu vou fazendo”. O começo da história Apesar de ainda ser novidade para muitos, a história de Eliel com o crochê já é antiga. Filho caçula de uma família de nove irmãos, Eliel cresceu vendo a mãe e as irmãs tecer peças de crochê. Ele conta que chegava da escola e ia brincar enquanto as mulheres da família trabalhavam com o artesanato. Nesta mistura de talento e observação, ele logo começou a tecer as próprias peças. “Se alguém me pergunta como eu aprendi a fazer, eu respondo que eu não sei. Tem até amigos meus que brincam, dizem que a minha mãe me ensinou muito bem a fazer crochê. Mas não foi minha mãe que me ensinou. Eu convivi com ela fazendo e aprendi sozinho.” Eliel recebeu muito apoio da mãe para alimentar o talento com as linhas. Saudoso, ele conta que a mãe faleceu há cinco anos, mas as memórias da infância são boas e permanecem bem vivas. “Eu lembro que quando eu fazia crochê com a minha mãe, quando acabava a energia, ela acendia a vela pra eu continuar fazendo. Ela falava ‘você pode fazer mais um pouquinho’. A minha mãe era maravilhosa.” Na época da infância de Eliel, muitas pessoas investiam no trabalho com crochê. A chegada nas malharias, porém, transformou esse cenário. “Hoje em dia, como tem muitas malharias, muita gente desistiu do crochê para tentar ganhar um dinheiro mais rápido. Porque para fazer crochê, você precisa ficar ali, sentadinho, você gasta umas horas para fazer um cone de linha, então é mais demorado. Quando você trabalha em uma malharia, você pode ter a sua carteira registrada, o seu horário fixo, décimo terceiro, seguro desemprego… então muita gente desistiu do crochê e foi para malharia. No bairro onde eu nasci, São Sebastião dos Rosários, as mulheres ainda trabalham de dia na cidade e à noite elas fazem crochê.” Novos caminhos Estar em Jacutinga é, ainda, uma boa oportunidade para quem tem um talento como o de Eliel e resolveu persistir na venda do artesanato. Na cidade de pouco mais de 25 mil habitantes, são 800 fábricas de malhas, com uma produção que chega a 110 mil peças por ano, considerando pequenas e grandes indústrias. Segundo a Associação Comercial, apenas as fábricas empregam pelo menos 8 mil funcionários diretos. Nestas produções, 90% do trabalho com máquinas pesadas de tecelagem é feita por homens. Já as mulheres são reponsável por 90% das vagas no setor de costura. “Jacutinga por ter bastante malharia, é interessante o crochê. Porque o turista já vem por causa das malhas e também se interessa pelo crochê. As pessoas daqui da cidade não se interessam muito porque já cresceram neste meio, mas para as pessoas de fora é muito interessante, porque aqui o crochê também sai em um preço mais em conta do que nas lojas das capitais”. Apesar das boas oportunidades da cidade, o trabalho de Eliel não parece ter fronteiras. Com a parceria de um amigo, ele faz planos para driblar a crise que chegou ao salão em que trabalha e, ainda, dar oportunidades à outras artesãs. “Eu estou elaborando uns modelos pra vender em lojas em São Paulo. A partir daí, as pessoas vão poder fazer os pedidos, e eu vou pegar para distribuir o serviço. Tem as mulheres que fazem o crochê. Então, a gente pega os pedidos, eu compro o material e vou distribuir pra elas também trabalharem, porque sozinho eu não daria conta. Eu faço a peça piloto.” “Já que eu faço crochê há tanto tempo, e agora o salão está parado, vou tentar o crochê, porque, quem sabe, não está aí a saída?” Fazendo do talento um trabalho, ele espera que o artesanato seja mais valorizado. “Não é um trabalho que você faz em um dia. É delicado e demora. Eu acho que deveria sim ser mais valorizado, porque é uma obra de arte”, ele conta. Para Eliel, o artesanato é uma alternativa excelente. Não só pela renda, mas também pelo prazer que a atividade proporciona. “Eu acho que o crochê é uma terapia. Pra mim não existe depressão com o crochê. Você distrai muito a cabeça. Tanta gente reclama que não consegue isso, não consegue aquilo, e eu sei que o crochê é uma coisa delicada, e que paga-se muito pouco… Mas em Jacutinga, é tão interessante. Porque se todo mundo que não tem serviço pegasse em uma agulha e tentasse fazer o crochê, já ganhava um troquinho. Minha mãe mesmo falava, é melhor pingar do que secar.” Fernanda Rodrigues e Lucas Soares do G1 de Minas

Publicidade
Clique para mais informações
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Espirito Santo do Pinhal

Previsão é de frio e chuva neste fim de semana em Espírito Santo do Pinhal

Publicado

em

Previsão é de frio e chuva neste fim de semana em Espírito Santo do Pinhal

Depois de dias quentes e com céu aberto, atípicos para o inverno, que se iniciou no último sábado, Espírito Santo do Pinhal (SP) deve ter um fim de semana com queda nas temperaturas e grandes chances de chuva, principalmente neste sábado (27), segundo informações do site Climatempo.

A frente fria começou a aparecer já na manhã deste sábado (27), trazendo nuvens carregadas e fortes ventos. A previsão indica que pode chover até 8mm e os termômetros marcarão entre 22° e 14°C.

- CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO -

No domingo, o céu deve continuar nublado e ainda há chances de chuva, no entanto, são previstos apenas 5mm. O frio também permanecerá, com mínima de 13° e máxima de 21°C.

Confira mais detalhes da previsão do tempo para o fim de semana em Pinhal:

Previsão é de frio e chuva neste fim de semana em Espírito Santo do Pinhal
Previsão é de frio e chuva neste fim de semana em Espírito Santo do Pinhal
Clique para ler

Sem categoria

Qualificação na quarentena: Capes oferece 25 mil vagas para cursos on-line e gratuitos

Interessados podem se inscrever no site da Capes

Publicado

em

Qualificação na quarentena: Capes oferece 25 mil vagas para cursos on-line e gratuitos

Para proporcionar qualificação a milhares de estudantes, 25 mil vagas para cursos on-line e gratuitos são ofertados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) para quem está em busca de aperfeiçoamento profissional em diferentes áreas. Para ter direito às formações, é preciso se cadastrar na Avacapes até o próximo dia 26.

As formações oferecidas possuem 60 horas de duração e têm como público-alvo estudantes de graduação, concluintes do ensino médio e alunos matriculados na Universidade Aberta do Brasil (UAB). 

- CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO -

Após a conclusão do curso, os estudantes receberão um certificado emitido pela Capes com a carga horária cumprida. Confira alguns dos cursos disponíveis na plataforma:

Português 2020

O material do curso aborda desde os conceitos básicos de texto, passando pelos processos e desafios da leitura e da escrita, até chegar a níveis mais avançados de interpretação e de escrita no meio acadêmico. Os minicursos possibilitam o contato inicial com os conceitos, processos e desafios da leitura, da interpretação e da escrita. Os cursos ofertados são:

– Coerência textual: sentido global do texto

– Principais fatores envolvidos no estabelecimento da coerência textual

– Concordância nominal e verbal

– Regência nominal e verbal

– Descrever, narrar, expor e argumentar

– Gêneros textuais: formas de ação linguística

Matemática 2020

Esta série de minicursos é destinada para quem precisa aprender um pouco mais sobre matemática, bem como potencializar a compreensão das habilidades e características relativas à disciplina, como estratégia de expressão do material e do imaginário humano, promovendo oportunidades de expansão e troca de informação e de conhecimentos no universo acadêmico. O curso aborda: 

– Conjuntos numéricos e as operações fundamentais

– Potenciação e Radiciação

– Equações

– Funções

Tecnologias da Informação e Comunicação 2020

As temáticas apresentadas e discutidas nos minicursos que compõem este material de TICs buscam oferecer suporte técnico e também desencadear uma série de reflexões que servirão de base e fundamentação para leitura e estudo de pessoas interessadas nessa área. 

O objetivo é dar suporte técnico às pessoas interessadas em conhecer um pouco mais o cenário atual dos recursos tecnológicos, bem como potencializar suas qualificações na área da tecnologia digital, promovendo oportunidades de expansão e troca de informação e de conhecimentos no contexto onde atuam. Para isso, há disponíveis três minicursos: 

– O estudante de EaD

– Sociedade em rede 

– Educação a Distância

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Clique para ler

Espirito Santo do Pinhal

Por 14 mil, Prefeitura de Pinhal adquire 40 termômetros infravermelho

Publicado

em

Por 14 mil, Prefeitura de Pinhal adquire 40 termômetros infravermelho

A Secretaria Municipal de Saúde de Espírito Santo do Pinhal publicou um despacho nesta terça-feira (09), autorizando a compra de 40 unidades de termômetro corporal digital infravermelho portátil para fins de prevenção e combate ao novo coronavírus.

Segundo a prefeitura, os termômetros serão utilizados nas barreiras sanitárias do municípios, nas Unidades Básicas de Saúde e no Posto de Atendimento Avançado.

- CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO -

Sete empresas participaram da cotação de preços. A empresa vencedora foi a Marchiori & Peigo Ltda, de Espírito Santo do Pinhal.

Por 14 mil, Prefeitura de Pinhal adquire 40 termômetros infravermelho
Clique para ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright © 2020 Portal de Pinhal - CNPJ 32.963.468/0001-78 - Todo conteúdo do site pode ser reproduzido, desde que citada a fonte.