Connect with us
;

Espirito Santo do Pinhal

Grupo Mazan realizará evento cultural aprovado no ProAc Expresso LAB 2020

RECodai – Reconectando vivências do dançar acontecerá, no formato online, entre os dias 12 e 16 de abril

Publicado

em

© Foto Reprodução

Espírito Santo do Pinhal receberá, no próximo mês de abril, a primeira edição do RECodai – Reconectando vivências do dançar, mostra artística online produzida pelo Grupo Mazan. Criado a partir do Concurso de Dança do Interior (CODAI), o projeto foi contemplado pelo ProAc Expresso LAB 2020, promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do governo do Estado de São Paulo, através da Lei Aldir Blanc, lei de auxílio financeiro ao setor cultural.

- Publicidade -
Bolsas de estudos. Clique aqui

Com organização dos produtores culturais Daylon Martineli, Gabriel Gonçalves, Lourenço Zanelo e Ricardo Biazotto, o projeto do RECodai foi desenvolvido devido a impossibilidade de realização do CODAI, evento que faz parte do calendário cultural pinhalense desde 2017. Segundo o produtor Daylon Martineli, diretor de produção do evento, “ao longo dos anos o CODAI passou por um crescimento exponencial e os números de participantes comprovam a sua importância para a cidade, afinal movimenta o comércio, o turismo e a economia pinhalense durante todo o final de semana em que é realizado”.

- Publicidade -
Clique aqui

Daylon explica que a pandemia do Covid-19 impossibilitou a realização do CODAI 2020, mas que a equipe de produção “se uniu para adaptá-lo a uma versão online, buscando reconectar as experiências do evento presencial, por isso o título RECodai – Reconectando vivências do dançar”. Ainda segundo o produtor, a princípio a ideia era realizar o evento com recursos próprios, porém “a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, através do ProAc Expresso LAB, abriu editais para produção de festivais culturais e a direção do RECodai inscreveu este projeto, sendo contemplado com uma verba que será destinada exclusivamente à realização do evento online”.

- Publicidade -
Clique aqui

A importância da mostra artística, segundo Daylon, “é proporcionar um evento de caráter formativo, abrir espaço para grupos e coletivos de dança que costumam participar do CODAI, além de disponibilizar um espaço acessível e democrático para que esses artistas exponham seus trabalhos”. “Com a aprovação no ProAc Expresso LAB, o nosso time tem se capacitado para aprovar novos projetos, com o intuito de fazer a arte pinhalense ser reconhecida em âmbito nacional e estadual, levando o nome de Espírito Santo do Pinhal como um verdadeiro local de fomento à Cultura”, conclui.

Os desafios da pandemia e a concepção do RECodai

Lourenço Zanelo, diretor artístico do RECodai, explica que a pandemia prejudicou toda a classe artística e atrapalhou os trabalhos que estavam sendo desenvolvidos ao longo dos anos pelos dançarinos, sobretudo porque “a dança exige que o profissional esteja em atividade todos os dias, afinal trabalhar o corpo e a criatividade é um trabalho a longo prazo”. “A pandemia atrapalhou muito o trabalho que vínhamos desenvolvendo, abalando nossos projetos e diminuindo o retorno financeiro. Se não fosse a Lei Aldir Blanc, pra salvar uma pequena parcela dos artistas, bailarinos, coreógrafos e professores, estaríamos perdidos”, conclui o diretor.

Os desafios impostos pela pandemia serviram como base para o desenvolvimento do RECodai, buscando promover aos artistas participantes uma reconexão com a própria arte, sobretudo considerando que o meio artístico e cultural foi um dos mais afetados nos últimos meses. Ricardo Biazotto, produtor executivo do evento, revela que o RECodai se desenvolveu “de uma forma que os artistas pudessem se voltar para as próprias vivências com o dançar, resgatando e fomentando suas experiências antes e durante a pandemia”. Ainda segundo o produtor, o evento online foi desenvolvido como uma forma de encontro e reencontro entre os artistas que não puderam praticar suas artes nos últimos meses.

O produtor Gabriel Gonçalves, por sua vez, destaca que a ideia era “suprir a carência do encontro e da formação em dança nesse momento pandêmico, tanto para os grupos de dança da região como para a classe artística como um todo”. “Com certeza, um dos nossos principais objetivos é fomentar a formação em dança no Estado de São Paulo, mas com foco no interior, na região que a gente reside”, ressalta.

Pensando nesse objetivo, a programação é composta por artistas renomados em todo o país e outros que trabalham na região de Espírito Santo do Pinhal. Nesse sentido, Gabriel Gonçalves garante ser “muito importante, para a equipe de produção, a possibilidade de proporcionar meios de formação e visibilidade das coreografias através das mostras artísticas”. “É essencial que o RECodai pense em democratizar o acesso à formação em dança e proponha pautas necessárias em nossa sociedade, convidando pessoas de diferentes realidades e vivências para cruzar ideias em benefício do público em geral”, conclui o produtor.

O RECodai

O RECodai – Reconectando vivências do dançar acontecerá entre os dias 12 e 16 de abril de 2021, com atividades transmitidas ao vivo diretamente do Theatro Avenida e da Portée – Espaço de Dança, escola de dança inaugurada em fevereiro do último ano. Entre as principais atividades do evento, destacam-se três mostras artísticas e oficinas/bate-papos com dançarinos, profissionais e amadores, que ajudaram a construir o cenário da dança no Estado de São Paulo nos últimos anos, como Yoshi Suzuki (São Paulo Companhia de Dança), Luiza Guinez (Cisne Negro Cia de Dança) e Leonardo Muniz (Balé da Cidade de São Paulo). 

O diretor artístico do evento, Lourenço Zanelo, afirma que o RECodai terá espaço para vários estilos de dança, como ballet, danças urbanas, jazz, dança contemporânea, estilo livre, teatro musical, dança afro e danças folclóricas. Além disso, segundo o diretor, “a abordagem será de uma forma moderna, pelo fato de tudo ser online, mas principalmente pela possibilidade de fazer a diferença na vida das pessoas”. “Nós vamos ouvir pessoas que nos servem de inspiração e ouvir também as pessoas que estão crescendo junto com a gente; no fim, todo mundo vai aprender e todos os dançarinos podem ganhar muito com o RECodai”, conclui.

A produção

Realizado pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e a Lei Aldir Blanc, o RECodai – Reconectando vivências do dançar tem a produção do Grupo Mazan, composta pelos produtores culturais Daylon Martineli (ator), Gabriel Gonçalves (ator), Lourenço Zanelo (bailarino) e Ricardo Biazotto (escritor).

- Publicidade -

Fundador e editor-chefe do Portal de Pinhal | contato@portaldepinhal.com.br

Copyright © 2020 Portal de Pinhal - CNPJ 32.963.468/0001-78 - Todo conteúdo do site pode ser reproduzido, desde que citada a fonte.