Siga-nos em

Geral

Com aglomeração e adesão do PT, oposição faz protestos contra Bolsonaro

As manifestações deste sábado contra o presidente Jair Bolsonaro custarão R$ 381 mil aos cofres públicos paulistas.

Publicado

em

© Foto: Protestos no Estado do RJ / Jornal O Cafezinho

Os atos de rua contra o presidente Jair Bolsonaro marcados para este sábado, dia 19, nas capitais e em centenas de cidades do país ganharam caráter mais partidário e pró-Lula em comparação com às manifestações que ocorreram em maio.

Esse movimento ficou explícito após o PT aderir oficialmente aos protestos de rua – no qual prometeu se juntar aos movimentos sociais “no apoio e participação” – e na possibilidade de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ir ao evento em São Paulo. Outros partidos de esquerda também apoiam os atos, entre eles PSol e PCdoB.

Os atos foram convocados pela Frente Brasil Popular, Povo Sem Medo, Coalizão Negra por Direitos e por seis centrais sindicais. Segundo os organizadores, estão confirmados atos em mais de 400 cidades dos 27 estados.

A manifestação deste sábado acontece, ainda, em meio à pandemia de Covid-19 e no momento em que o país se aproxima das 500 mil mortes pela doença. Em maio, quando também houve atos contra Bolsonaro, o receio de gerar aglomerações dividiu a oposição; os organizadores recomendaram o uso de máscaras e álcool em gel, mas os protestos causaram aglomerações, propícias à transmissão do vírus.

Custo para cofres públicos em SP será de R$ 381 mil

As manifestações deste sábado contra o presidente Jair Bolsonaro custarão R$ 381 mil aos cofres públicos paulistas. Os recursos serão gastos na mobilização de um esquema de segurança, segundo apurou a reportagem. Somente no maior ato, na Avenida Paulista, em São Paulo, a Polícia Militar vai mobilizar cerca de 400 policiais, segundo a Secretaria de Segurança Pública do estado. Foram escalados policiais do batalhão territorial e de unidades especializadas, com aproximadamente 120 viaturas, duas aeronaves e seis drones. Outras unidades da PM permanecerão de prontidão e, se necessário, serão deslocadas para prestar apoio. A secretaria informou que a PM também estará mobilizada para garantir a segurança em manifestações em outras regiões do estado.

*Com informações da Gazeta do Povo


Compartilhe esta notícia