Siga-nos em

Geral

Greve dos tanqueiros: falta de combustível em BH já provoca filas e desabastecimento

Publicado

em

© Foto Reprodução / TV Globo

Postos de combustível de Belo Horizonte e Região Metropolitana registram longas filas na manhã desta sexta-feira (22). A alta procura é reflexo da greve dos tanqueiros, motoristas de caminhões que transportam combustíveis. Motoristas reclamam que, com a paralisação, houve aumento nos preços, com o litro da gasolina chegando a quase R$ 7 na capital.

Corrida aos postos deve ser evitada, diz sindicato

Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Minas Gerais (Minaspetro), que representa os donos de postos de gasolina, a base de Betim, na Grande BH, está totalmente paralisada. Ou seja, o trabalho dos caminhoneiros para abastecimento junto à Refinaria Gabriel Passos (Regap), da Petrobras, não está sendo feito por causa da greve.

O Minaspetro também disse que “todas as regiões do estado estão sendo prejudicadas”.

A entidade diz que a população não deve fazer uma corrida aos postos, já que isso pode “causar e agravar o desabastecimento”.

Greve por tempo indeterminado

O Sindicato das Empresas Transportadoras de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (Sindtanque-MG) afirmou, na manhã desta sexta-feira (22), que a greve continua por tempo indeterminado. Segundo a entidade, a adesão é de 100% dos tanqueiros.

De acordo com o sindicato, todas as transportadoras de Minas Gerais estão paradas. A ideia é manter a paralisação até que os governos estadual e federal entrem em contato e abram um canal de negociação com os caminhoneiros.

Eles pedem a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos combustíveis cobrado em Minas e dos custos repassados pela Petrobras.

As informações são do G1.

Compartilhe esta notícia

Clique aqui