Siga-nos em

Geral

Governo Federal fecha 2021 com mais de 287 mil refugiados venezuelanos regularizados pela Operação Acolhida

Cerca de 64 mil venezuelanos foram interiorizados e mais de 1 milhão de atendimentos foram realizados na fronteira do Brasil com a Venezuela

Publicado

em

© Foto Divulgação | Governo Federal

O Governo Federal regularizou mais de 287 mil migrantes e refugiados venezuelanos através da Operação Acolhida. Foram mais de 64 mil pessoas interiorizadas em 778 municípios espalhados por todo o Brasil. De acordo com a Casa Civil, mais de 1,7 milhão de atendimentos foram realizados na fronteira do Brasil com a Venezuela.

“O Brasil tem desenvolvido um receptivo para essas pessoas que já vêm de uma saga de muito sofrimento. Pessoas que muitas vezes caminham por dias sem fim, trazendo suas famílias a pé, com muita necessidade. Com a Operação Acolhida, nós já conseguimos fazer com que mais de 60 mil [pessoas] fossem abrigadas no Brasil, inclusive já com oportunidade de trabalho”, afirmou o ministro da Cidadania, João Roma.

A Operação Acolhida foi criada em 2018 para garantir o atendimento humanitário a venezuelanos em Roraima, principal porta de entrada do país vizinho para o Brasil.

A ação oferece assistência emergencial aos refugiados e migrantes. O atendimento ao fluxo desta parcela de venezuelanos na fronteira começa nas estruturas montadas para assegurar a recepção, identificação, fiscalização sanitária, imunização, regularização migratória e triagem de todos que vêm do país vizinho.

“O Governo brasileiro tem dado, com muita eficácia, uma prova de que é possível a gente superar essas dificuldades, inclusive receber nossos irmãos venezuelanos com estrutura adequada e com encaminhamento de vida para muitos deles”, disse o ministro, que destacou que, mesmo com a crise sanitária causada pela Covid-19, o trabalho não parou.

“Mesmo durante esse período de pandemia, nós acolhemos essas pessoas, demos toda a infraestrutura necessária, alimentação, medicamentos e a parte de registro civil, através do Ministério da Justiça”, enfatizou o ministro João Roma.

De acordo com dados atualizados da Casa Civil, cerca de 335 mil Cadastros de Pessoas Físicas (CPFs) já foram emitidos durante a Operação.

Estrutura

Para acomodar o grande número de venezuelanos, a Operação conta com 12 abrigos em Boa Vista (RR), sendo quatro deles destinados a indígenas. Em Pacaraima (RR), um décimo terceiro abrigo também é destinado a indígenas.

No mês de outubro deste ano, o Presidente Jair Bolsonaro fez uma visita ao centro da Operação Acolhida, em Boa Vista. Na ocasião, ele reafirmou a importância do trabalho prestado e desejou sorte aos venezuelanos. “Aos venezuelanos que estão aqui, boa sorte a vocês! Parabéns ao nosso Exército Brasileiro, entre outras organizações aqui presentes, que trabalham para acolhê-los”.

A força-tarefa humanitária é executada e coordenada pelo Governo Federal com o apoio de entes federativos, agências da ONU, organismos internacionais, organizações da sociedade civil e entidades privadas, totalizando mais de 100 participantes.

Interiorização

O processo de interiorização, que desloca refugiados e migrantes venezuelanos de Roraima para outros estados brasileiros, é a principal estratégia do Governo brasileiro para promover a inclusão socioeconômica dos refugiados e migrantes venezuelanos. Desde o início da ação, em abril de 2018, já foram interiorizadas mais de 64 mil pessoas para mais de 700 municípios brasileiros em diversas Unidades da Federação.

“Então, dessa forma, com o Brasil através do seu povo, com tanta solidariedade, tem conseguido lidar com essa questão e tem reconhecimento internacional. Vários organismos têm elogiado as práticas do Governo Brasileiro e também do povo brasileiro, que tem conseguido fazer a ambientação dessas pessoas”, declarou o ministro da Cidadania.

Compartilhe esta notícia

Clique aqui
Clique aqui