Connect with us

Educação

Ensino Médio: alunos brasileiros querem modelo semelhante ao implantado pela Educação de SP em 2024, aponta pesquisa

Em pesquisa encomendada pela Todos pela Educação e aplicada pelo Datafolha, 65% dos estudantes que deram início ao Ensino Médio em 2024 preferem currículo flexível

Publicado

em

Ensino Médio SP
© Divulgação | Seduc-SP | Governo de SP

Pesquisa encomendada pela Todos pela Educação e aplicada pelo Datafolha aponta que os estudantes brasileiros do Ensino Médio querem um currículo flexível, redução dos aprofundamentos a apenas uma área do conhecimento e a disponibilização do Ensino Técnico. O modelo ideal, de acordo com a pesquisa, é muito parecido com o já implantado pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) para o ano letivo de 2024. 

Publicidade

Para os alunos da rede paulista, os 12 itinerários formativos foram reduzidos para três áreas de conhecimento: Exatas, Humanas e Ensino Técnico, além de mudanças importantes realizadas na matriz curricular do Ensino Médio. 

Este ano, os itinerários formativos são ofertados a partir da 2ª série e seguirão até o fim da 3ª série. Ou seja, na 1ª série, todos os estudantes do Ensino Médio têm a mesma matriz curricular, com aulas das disciplinas-base da educação básica, como língua portuguesa, matemática, física, química, biologia, geografia e história. Ainda em 2023, os estudantes dessa primeira etapa precisaram optar pelo itinerário de sua preferência: Linguagens e suas Tecnologias e Ciências Humanas e Sociais Aplicadas (Humanas), ou Matemática e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e Suas Tecnologias (Exatas), ou Ensino Médio Técnico.

Publicidade

LEIA TAMBÉM: Emprego na rede estadual: 2.262 vagas para agentes de organização escolar na região de Campinas

A redução de 12 itinerários formativos para três foi implantada pela Seduc-SP a partir de ampla consulta à rede. Atualmente, dos 389,5 mil estudantes matriculados em 2024 na 2ª série do Ensino Médio, 168,2 mil (43,2%) optaram pelo itinerário da área de Humanas, 132,8 mil (34,1%) pela área de Exatas e 88,2 mil (22,6%) pelo Ensino Técnico.

Publicidade

No Ensino Técnico, a Educação oferta nove cursos: administração, agronegócio, ciências de dados, desenvolvimento de sistemas, enfermagem, farmácia, hospedagem (hotelaria), logística e vendas. 

Todos pela Educação e Datafolha

Na pesquisa, 65% dos estudantes brasileiros matriculados na 1ª série apontam que preferem um currículo flexível. Destes, 35,2% optam por disciplinas fixas em parte do tempo para todos os estudantes, com o aprofundamento como em São Paulo acontece com Humanas e Exatas. Outros 29,4% preferem disciplinas fixas mais o curso de formação técnica — percentual que se aproxima dos 22,6% de estudantes da 2ª série matriculados no Ensino Técnico na rede estadual em 2024.

Publicidade

Os estudantes também foram convidados a responder a seguinte pergunta: Se você pudesse escolher aprofundar os estudos em disciplinas do seu interesse, em quais você teria interesse?

As respostas dão conta que 81% dos estudantes optariam por apenas uma área de interesse. A resposta segue a lógica da definição, pela Educação, de apenas três itinerários, e não o que ocorria na gestão anterior, quando os estudantes eram divididos em turmas com temas de aprofundamento diversos.

Publicidade

Nova matriz curricular

Além da redução para três itinerários, considerando o aprendizado de todos os alunos das três séries do Ensino Médio, a Educação implantou mudanças na matriz curricular. 

Em resposta à demanda de estudantes e professores, a Seduc-SP ampliou  em 60% o tempo destinado à aprendizagem de língua portuguesa e em 70% à matemática do Ensino Médio neste ano, além de incluir aulas de geografia, história e física na 3ª série do Ensino Médio.

Publicidade

Publicidade

Siga o Portal de Pinhal no Google News e receba alertas sobre as principais notícias.

Publicidade