Siga-nos em

São Paulo

Cartórios são responsáveis por mais de 21 mil empregos formais em São Paulo

Setor, considerado serviço essencial à população durante toda a pandemia, funcionou ininterruptamente e ampliou opções de atendimento com migração de 93% dos seus serviços para o meio eletrônico

Publicado

em

cartorios de sp
© Foto Pixabay

Abertos ininterruptamente durante todo o período da pandemia e já oferecendo mais de 93% dos seus atos em plataformas eletrônicas, os Cartórios paulistas aumentaram em 2,3% as vagas de trabalho em 2021, sendo responsáveis por um total de 21.057 empregos com carteira assinada no Estado, superando os 20.578 empregos contabilizados no setor no ano de 2020. Se comparado aos últimos seis anos, o setor registrou aumento de 5,5% no número de vagas formais criadas.

Considerados serviços essenciais à população, os 13.440 Cartórios brasileiros, presentes em todos os 5.570 municípios do Brasil, foram responsáveis pela abertura de 4.879 postos com carteira assinada em todo o território nacional, estando entre os 100 cargos que mais contrataram trabalhadores em 2021, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho e da Previdência.

O setor notarial e registral responde ainda pelo sustento indireto 37.738 pessoas dependentes dos trabalhadores contratados, e proporciona a abertura de outros 45.403 postos de trabalhos em empresas e serviços relacionados à prestação dos serviços de notas e de registros no Brasil.

“Os cartórios são importantíssimos para acolher e orientar as pessoas. Na pandemia da COVID-19, continuaram atendendo, por serem serviços essenciais, e isso teve sua importância, principalmente para garantir o exercício dos direitos relacionados à cidadania das pessoas e à livre circulação de bens e serviços, mas também para a manutenção dos empregos dos funcionários que trabalham nas unidades e que necessitam de tempo e de formação específica para bem exercerem suas funções”, explica o vice-presidente da Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg/SP), Demades Mario Castro. “Mesmo em momentos de pandemia, os Cartórios souberam se reinventar para oferecer a maioria de seus serviços de forma remota, para que os cidadãos não tivessem qualquer prejuízo no exercício de seus direitos, mesmo com restrições ao atendimento presencial”, completa.

Como trabalhar na área

Ao contrário do cargo de titular de cartório, onde é exigida formação em Direito e aprovação em concurso público promovido pelo Tribunal de Justiça do Estado, para se candidatar as vagas de escreventes e auxiliares os requisitos, que podem variar de unidade para unidade, são estar cursando ou possuir graduação em Direito para a primeira função, e ter o ensino médio concluído para a segunda função. Os salários variam conforme o Estado e o tipo de cartório e são definidos com base em pisos estaduais da categoria.

Considerados serviços essenciais enquanto muitas outras atividades estiveram fechadas durante a pandemia, os Cartórios brasileiros são responsáveis pelos atos vitais do cidadão brasileiro: do nascimento ao óbito, da união estável ao casamento, da compra de uma casa ao registro de uma empresa, do testamento ao reconhecimento de paternidade, da recuperação de dívidas à fiscalização de arrecadação tributária para União, Estados e municípios.

Anoreg/SP

Fundada em 1928, a Associação dos Notários e Registradores do Estado de São Paulo (Anoreg/SP) congrega 1.546 mil Cartórios distribuídos em todos os municípios do Estado, os quais empregam direta e indiretamente mais de 23 mil pessoas. A entidade reúne cartórios de cinco especialidades: Registro Civil das Pessoas Naturais, Registro de Títulos e Documentos e Pessoas Jurídicas, Tabelionato de Notas, Tabelionato de Protesto e Registro de Imóveis.

Compartilhe esta notícia