Siga-nos em

Geral

Detran.SP dá dicas para o candidato ganhar nota 10 no exame prático de habilitação

Saiba o que é avaliado pelo examinador e o que pode ajudar ou atrapalhar seu teste de primeira habilitação de direção veicular

Publicado

em

O Detran.SP lista algumas dicas e orientações valiosas para ajudar os candidatos que realizam o exame prático de direção veicular e para obter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou a Permissão para Dirigir (PPD). Basta fica atento às recomendações, que são exigidas pelos examinadores, para se dar bem na avaliação e ganhar nota 10.

Os examinadores avaliam se os candidatos à habilitação possuem condições para atuarem no trânsito sem fornecer riscos aos demais habilitados, passageiros e pedestres. “A CNH não é um direito do cidadão, ela é uma concessão. O documento é concedido em confiança aos conhecimentos e habilidades demonstradas. Daí a importância do futuro motorista se dedicar ao máximo durante todo o processo”, afirma Neto Mascellani, diretor-presidente do Detran.SP.

“O exame prático é o último momento da avaliação do candidato, onde tudo ainda está sendo feito em ambiente laboratorial, monitorado. Ele é uma maneira do órgão executivo de trânsito ter a garantia de que até aquela etapa o candidato conseguiu demonstrar o domínio e suas habilidades para a condução de veículo”, explicou Rosana Néspoli, gerente da Escola Pública de Trânsito (EPT), do Detran.SP.

Detran SP
Foto Divulgação | Detran

O candidato deve demonstrar equilíbrio, capacidade de manobra, uso adequado de sinalização, reflexo diante de obstáculos e habilidade de troca de marcha. O condutor que está sendo submetido ao teste passará por pelo menos quatro cones alinhados, uma prancha ou elevação com entrada chanfrada, sonorizadores com réguas de largura, duas curvas sequenciais com raio de 90° e em formato de “L” e duas rotatórias circulares que permitam manobra em formato de “8”. Não necessariamente nessa ordem.

Nos fluxos das categorias “B”, “C”, “D” e “E”, a contagem do tempo para realização da baliza se inicia quando a frente do carro alcança o primeiro balizador. O exame é realizado em duas etapas: baliza e percurso em via pública, necessariamente nessa ordem. A primeira etapa consiste em estacionar o veículo em área demarcada por, pelo menos, seis balizadores removíveis.

Para essa etapa, cada candidato tem até três tentativas, que são contadas a cada deslocamento em marcha a ré. A área demarcada e o tempo permitido para a realização da manobra variam de acordo com cada grupo. Na categoria B, o limite é de 5 minutos, na C e D é de 6 min e na E de 9 min.

Para todas as categorias de quatro ou mais rodas, o percurso apresenta aclives e declives, cruzamentos, sinalizações horizontal e vertical e guias de estacionamento. O candidato é submetido a conversões e testes de parada em subida, com acionamento obrigatório de freio de estacionamento, e é avaliado quanto ao cumprimento de normas de circulação e conduta.

Cuidado com os pontos!

Durante o exame, as faltas cometidas são registradas no momento em que ocorrem. O critério é a pontuação negativa por falta cometida, sendo que o candidato que cometer uma falta eliminatória ou cuja soma dos pontos negativos ultrapassar três será reprovado.

Habilitação para motos

Faltas eliminatórias (reprovação): iniciar a prova sem estar com o capacete devidamente ajustado ou sem viseira ou óculos de proteção; descumprir o percurso; colidir em cones; cair do veículo durante a prova; não manter equilíbrio na prancha; avançar sobre o meio-fio ou a parada obrigatória; colocar os pés no chão com o veículo em movimento; provocar acidente durante o exame e cometer qualquer outra infração gravíssima.

Faltas graves (3 pontos): deixar de colocar um pé no chão e o outro no freio ao parar o; invadir qualquer faixa durante o percurso; não fazer ou fazer incorretamente a sinalização; fazer o percurso com o farol apagado e cometer qualquer infração grave.

Faltas médias (2 pontos): utilizar incorretamente os equipamentos; engrenar ou usar marchas inadequadas; não recolher o pedal de partida ou o suporte do veículo antes de iniciar; interromper o funcionamento do motor sem justa razão após o início da prova; conduzir o veículo sem segurar o guidom com as duas mãos e cometer qualquer outra infração de trânsito de natureza média.

Faltas leves (1 ponto): colocar o motor em funcionamento quando já engrenado; conduzir o veículo provocando movimento irregular; regular os espelhos retrovisores durante o percurso do exame e cometer qualquer outra infração leve.

Habilitação para veículo de quatro ou mais rodas

Faltas eliminatórias (reprovação): desobedecer à sinalização semafórica e de parada obrigatória; avançar sobre o meio-fio; não colocar o veículo na área balizada no tempo estabelecido; avançar sobre o balizamento demarcado durante o estacionamento na vaga; transitar em contramão; não completar a realização de todas as etapas do exame; avançar a via preferencial; provocar acidente; exceder a velocidade e cometer qualquer outra infração de trânsito gravíssima.

Faltas graves (3 pontos): desobedecer à sinalização da via ou ao agente da autoridade de trânsito; não observar as regras de ultrapassagem ou de mudança de direção; não dar preferência de passagem ao pedestre que estiver atravessando a via transversal para onde se dirige o veículo ou, ainda, quando o pedestre não haja concluído a travessia; manter a porta do veículo aberta ou semiaberta; não sinalizar com antecedência a manobra pretendida ou sinalizá-la incorretamente; não usar devidamente o cinto de segurança; perder o controle da direção e cometer qualquer outra infração de trânsito de natureza grave.

Faltas médias (2 pontos): executar o percurso da prova, no todo ou em parte dele, sem estar com o freio de mão inteiramente livre; trafegar em velocidade inadequado; interromper o funcionamento do motor, sem justa razão, após o início da prova; fazer conversão incorretamente; usar buzina sem necessidade ou em local proibido; desengrenar o veículo nas descidas; colocar o veículo em movimento sem observar as cautelas necessárias; usar o pedal da embreagem antes de usar o pedal de freio nas frenagens; entrar nas curvas com a engrenagem de tração do veículo em ponto neutro; engrenar ou usar as marchas de maneira incorreta e cometer qualquer infração média.

Faltas leves (1 ponto): provocar movimentos irregulares no veículo sem motivo justificado; ajustar incorretamente o banco; não ajustar devidamente os espelhos retrovisores; apoiar o pé no pedal da embreagem com o veículo engrenado e em movimento; utilizar ou interpretar incorretamente os instrumentos do painel do veículo; dar partida ao veículo com a engrenagem de tração ligada; tentar movimentar o veículo com a engrenagem de tração em ponto neutro e cometer qualquer infração leve.

Com todas essas dicas, no dia da prova, basta comparecer com 15 min de antecedência ao horário agendado no protocolo de agendamento, portando documento de identificação e a Licença de Aprendizagem de Direção Veicular (LADV), impressa pelo CFC. Com trajes adequados, siga as orientações dos representantes e examinadores e tenha um bom exame!

Compartilhe esta notícia

Clique aqui